Dia 38 - Calor de verdade, 2 dias em Nova York e jantinha light

Se você perguntar pra qualquer pessoa que me conhece um pouco, qual é a parada que eu mais detesto nesse mundo, todos responderão em coro: calor! Eu não suporto calor. Não sei lidar com ele. Não tenho melanina pra isso. Me irrito. Fico com dor de cabeça. Quero sumir. Reclamo tanto que o Leandro diz que ele deseja que o verão acabe tanto quanto eu, só pra eu parar de reclamar. E eu, ingênua, achava que só existia calor, assim, aquele de verdade, com sol que frita os miolos, no Rio de Janeiro. Infelizmente, me enganei. É claro que aqui não temos semanas seguidas de tempo abafado e sol escaldante, como na nossa terrinha. Além disso, as manhãs são sempre mais amenas e as noites fresquinhas. Mas, de qualquer forma, tem feito um solzinho bem forte.

Tudo isso é pra falar que eu bem queria estar passeando mais, mas estou sendo impedida. Minha vontade é ficar em algum lugar fresquinho, com ar condicionado, o dia inteiro. Mas também não quero ficar trancada em casa. Então, na terça, depois do almoço, resolvi ir ao cinema ver "2 dias em Nova York". É uma comédia romântica (mais comédia que romântica), continuação de "2 dias em Paris". É bem engraçada. Só senti falta de mostrarem mais NY, assim como mostram Paris no primeiro filme.

À noite fizemos uma saladinha delícia aqui em casa. Simples, temperada com azeite, sal e limão, acompanhada de um vinho português que custou 3 euros no supermercado. Leandro tá nessa vibe de comer coisas leves quando chega do trabalho e eu tô adorando. Mesmo ele comendo um balde de salada, acho que continua sendo light, né?

2 comentários:

  1. Acho que o sol + o calor resolveram contemplar a todos, não importando se é verão ou inverno, está um calor horroroso aqui no MS....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mãe, mas o MS não conta, né!hahahaha

      Excluir